Casamento LGBTI Comunitário é realizado com 14 casais

por - 05 dezembro



















A Subsecretaria de Políticas da Diversidade (SPD), vinculada à Secretaria de Assuntos Difusos (SAD), organizou o Casamento LGBTI Comunitário com 14 casais, realizado neste domingo, dia 3, no salão de artes do Adamastor Centro. Na oportunidade, os noivos trocaram alianças, assinaram Contrato de União Estável, com Comunhão Parcial de Bens, em conformidade com a lei.

O casamento contou com as presenças do secretário Lameh Smeili (SAD); da secretária do Trabalho, Telma Cardia; das subsecretárias Ana Marques (Diversidade) e Verinha Souza (Políticas para as Mulheres); dos vereadores Dr. Alexandre Dentista (PSDC) e Genilda Bernardes (PT); e Cintia Gomes dos Santos, presidente da Diversidade Sexual da OAB; familiares e amigos dos noivos.

Ana Marques agradeceu o apoio de todos que contribuíram para a realização do matrimônio. “Estou muito feliz porque é a realização de um sonho às pessoas que, além de viver na diversidade, não têm condições de fazer uma festa, de ter realmente uma certidão reconhecida em cartório”, ressaltou. Segundo Ana, além de legalizar as questões que são importantes, por conta dos direitos e deveres, foi possível promover a parte social do casamento. “Vi nos olhos e rostos das pessoas que a cerimônia foi bacana, então me sinto realizada. Acho que acima de tudo nós temos que mostrar a questão da inclusão. É uma tarefa árdua, mas quando a gente consegue realizar é a melhor coisa que tem. É como se fosse o meu casamento”, afirmou Ana.

Em sua mensagem aos presentes, o secretário Lameh Smeili, que representou o prefeito Guti, disse que o poder público tem a obrigação constitucional de garantir o direito das pessoas, independente de sua religião, de sua opção sexual. “A Prefeitura de Guarulhos não poderia deixar de garantir esse direito às pessoas que querem ter a sua união estável”, enfatizou.

Lameh lembrou da Declaração dos Direitos Humanos, que, ao seu ver, ainda está limitado ao papel e tem que ser, de fato, uma realidade. Lameh citou frase emblemática de Nelson Mandela ao sair da prisão, onde esteve preso por quase três décadas por defender os direitos das pessoas negras: “As pessoas não nascem odiando, elas aprendem a odiar. E se as pessoas podem aprendem a odiar, elas podem ser ensinadas a amar”. Segundo Lameh, a missão de todos, do poder público, é ensinar as pessoas a amarem e respeitarem uns aos outros.

Imagens: Divulgação 






VEJA TAMBÉM

0 comentários