OPORTUNIDADE PARA NOVOS CINEASTAS - MinC

por - 26 fevereiro

MinC abre inscrições para editais de audiovisual com cotas para diretores negros, indígenas, mulheres e novos diretores na segunda-feira (26)

 
 
22.2.2018 - 10:10 - Atualizada em 26.2.2018 - 11:31 

Acesso rápido

 
 
Estão abertas as inscrições para oito dos 11 editais do Programa #AudiovisualGeraFuturo, o maior já lançado pelo Ministério da Cultura (MinC) no setor audiovisual em termos de volume de recursos e de projetos, e um marco na inclusão social de segmentos da população que normalmente não estão contemplados.
 
Cinco editais já com inscrições abertas são voltados inteiramente à produção de conteúdo independente: longas de animação, curtas e séries com narrativas para infância e duas linhas de documentário – uma sobre questões afro-brasileiras e indígenas e outra sobre infância e juventude. Também já estão disponíveis para inscrição editais voltados à produção de jogos eletrônicos e de narrativas transmídia (games e curtas ou minissérie) para a infância. 
 
Nesta quarta-feira (28), abrem as inscrições de outros dois editais, voltados ao desenvolvimento de projetos em comemoração aos 200 anos da Independência do Brasil e ao desenvolvimento de obras audiovisuais para a infância (os respectivos editais foram publicados na edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União). Até o fim da semana, será lançado o 11º edital, voltado ao apoio a festivais, mostras e eventos de mercado do setor audiovisual.
 
Os editais têm cotas específicas (com percentuais distintos) para novos diretores, diretores de regiões fora do eixo Rio e São Paulo, negros, indígenas e mulheres. É o primeiro edital do MinC a inserir transexuais e travestis no conceito "mulheres". Além de representar um marco na inclusão social, os editais devem contribuir para o fortalecimento da cadeira produtiva do setor audiovisual. 
 
As inscrições se encerram entre os dias 13 e 27 de abril e podem ser feitas no sistema Mapas Culturais, no link: mapas.cultura.gov.br. Para participar, as produtoras precisam ter registro regular e estarem classificadas como produtoras independentes na Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada do Ministério da Cultura responsável pela gestão dos recursos do FSA. Os editais exigem que os projetos sejam acompanhados de teasers – pequeno vídeo de divulgação.
 
Sobre os editais
 
edital Longa de Animação selecionará cinco projetos de produção de obras audiovisuais de longas-metragens inéditos e de ficção, com temática livre. Os selecionados receberão R$ 3,5 milhões cada um para desenvolver uma proposta destinada exclusivamente ao público infantil de 0 a 12 anos. 
 
Com duas linhas específicas para documentários, o Programa #AudiovisualGeraFuturo abre espaço para a criação de obras com as temáticas Afro-Brasileira e Indígena e Infância e Juventude. Os projetos de valorização das culturas afro-brasileira e indígena receberão R$ 500 mil (cada um) para a realização de dez obras documentais inéditas com duração a partir de 52 minutos. O mesmo valor e duração serão reservados para documentários que tratem sobre infância e juventude.
 
As séries infantis são outro destaque do edital Audiovisual Gera Futuro. Ao todo, serão destinados R$ 8 milhões para a produção de 10 obras audiovisuais de minissérie de ficção, sendo 5 projetos de 13 episódios e 5 projetos de 26 episódios. Todos os episódios devem ser live action, de temática livre, com sete minutos cada, voltados para crianças de 0 a 12 anos. Os projetos de 13 episódios receberão R$ 600 mil (cada) e os de 26 episódios, R$ 1 milhão.
 
edital Narrativas Audiovisuais para Infância – Curta vai selecionar 21 obras audiovisuais de curta-metragens. Os projetos, também destinados a crianças até 12 anos, terão um orçamento unitário de R$ 100 mil e devem ter uma duração de 13 minutos.
 
Também com inscrições abertas a partir desta segunda-feira (26), o edital de Jogos Eletrônicos vai selecionar 10 jogos eletrônicos, com temática livre, voltados para adolescência e juventude. Cada um dos projetos contemplados receberá R$ 250 mil.
 
edital Narrativas Transmídias para a Infância – Curtas Animação + Jogos Eletrônico vai premiar, com R$ 350 mil cada, 10 projetos transmídias para a produção independente de jogo eletrônico e curta-metragem de ficção de animação com duração de 13 minutos, com temática livre, voltados para o público infantil de 7 a 12 anos.
 
Já o edital Narrativas Transmídias para a Infância – Minissérie Animação + Jogos Eletrônicos vai selecionar 10 projetos transmídias para a produção independente de jogo eletrônico e minissérie de ficção de animação, com 13 episódios com duração de 7 minutos, com temática livre e voltados para o público infantil, de 7 a 12 anos. Cada contemplado receberá R$ 1 milhão.
 
Com inscrições abertas a partir desta quarta-feira (26), o edital Desenvolvimento de Projetos para a Infância vai selecionar 22 propostas de desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação; e 12 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação. Os vencedores receberão R$ 200 mil.
 
Já o edital de Desenvolvimento de Projetos – 200 anos da Independência do Brasil, com inscrições abertas também a partir de quarta-feira (26), vai selecionar 35 propostas de desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação; 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, documentário; e 15 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação. As obras de ficção selecionadas receberão R$ 200 mil e as documentais, R$ 100 mil
 
Audiovisual Gera Futuro
 
O programa Audiovisual Gera Futuro, lançado no último dia 7 de fevereiro, em Brasília, disponibilizará R$ 80 milhões para cerca de 250 projetos, voltados ao desenvolvimento, produção e difusão. Em todos os editais serão utilizados indutores para promover a inclusão e reduzir as desigualdades no setor audiovisual.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

VEJA TAMBÉM

0 comentários