AMIZADE, LEALDADE, GRATIDÃO AMIGA SANDRA MELO PELAS PALAVRAS-PRESENTES

por - 22 março

Para iniciar a falar sobre o Tiago preciso resumir o que eu era antes dele.

Iniciei a faculdade de artes em fev. de 2003. casada, 2 filhos, estava muito feliz por finalmente poder retomar os estudos. Mas no mês de maio do mesmo ano me separei, como toda ruptura eu me vi sem chão e com a minha felicidade comprometida. Para ocupar todos os minutos dos meus dias eu fazia várias coisas além da faculdade. Resumidamente era esse o cenário do meu momento. Dentre as coisas que eu fazia uma delas era participar do coral no anfiteatro da unimesp, uma ou duas vezes por semana.

Tão atarantada que estava eu nem ao menos via quem estava a minha volta, mas um dia terminando o ensaio do coral eu vi um rapaz que participava ali, junto com pessoas de terceira idade, ele foi a frente, usava uma boina e um sobretudo e falava com tanta desinibição e desenvoltura, tanto "ser", tanta" luz". Quem está no escuro enxerga bem a luz. 

Mais tarde soube que tinha apenas 23 anos e estava ali pedindo doações de brinquedos para distribuir no dia das crianças. Eu não sei se ele teve muito sucesso nas contribuições, mas sabe quando você percebe que está diante de uma pessoa rara? 

Não o vi mais, não sei se parei de ir aos ensaios ou se foi ele, não sei, pode ter  sido eu que estava muito inconstante.
Eu estudava de manhã que era pra ir junto com meus filhos ao colégio, no ano seguinte mudei pra noite e o reencontrei na mesma sala e foi em 2004 que iniciou a mais valiosa amizade que já tive na vida. 

Nós tínhamos e temos uma diferença grande de idade, mas isso não era importante, a arte não tem olhos pra isso E foi tão forte a parceria que não parecia um encontro, mas um reencontro cheio de saudade e coisas pra trocar e viver. Dessas coisas que não tem explicação possível. No mundo "normal" diriam, ah mas não existe amizade entre homem e mulher, pois eu afirmo que há, há sim.

Ele trabalhava na escola da família aos finais de semana, pra poder ter a bolsa pra estudar, quando pode já começou a lecionar. Ele não tinha um dia sequer livre e nas madrugadas ele escrevia suas poesias e textos. Era amigo de todos e ajudava a quem pedia com as tarefas.

Eu mais egoísta quem sabe, ou querendo defende-lo, dizia que estavam abusando dele. Mas ele dizia, não me custa, era fácil pra ele, algo natural redigir textos, com sua sensibilidade ele via a beleza de tudo e de uma simples palavra minha surgia uma poesia. Um milhão de idéias brotavam de sua cabeça, parecia bagunçada, mas era tudo muito organizado pra ele. Algumas eu achava que seria humanamente impossível de se realizar.

Fazíamos tudo juntos, trabalhos, visitas à exposições, teatros etc. 

Fazia um carinho em todos os cachorros perdidos na rua, ele não tinha medo, as crianças então ....parece que ele queria salvar o mundo, mas eu, incrédula lhe dizia: Pára com isso, você só vai sofrer, não vai conseguir salvar o mundo da maldade.Isso o entristecia fortemente. Afinal apesar de suas próprias adversidades ele reagiu ao contrário, sendo bom, honesto, fazia o bem porque isso alimentava sua alma.

As vezes se comportava como criança, ficava feliz com detalhes, como comer hot dog todos os dias na tia no portão da faculdade. Noutras como um adolescente, adulto, e tinha uma sabedoria de um ancião. Acho que isso explica nossa amizade, ele tem nele todas as idades.

Ele pode circular por todos os lugares, as favelas e palácios do mesmo jeitinho que ele é, ele não se perde de sua essência. Inteligência acima da média, criatividade, astúcia, disposição para qualquer batalha. A arte e a cultura percorre suas veias, mas ele não quer só pra ele, quer compartilhar, para que todos possam beber dessa fonte rica e inesgotável e que liberta. Espalhar essas riquezas para que todos se tornem um ser humano melhor.

Ele pode não conseguir salvar o mundo, mas sua contribuição de alguma forma é sem dúvida valiosa demais para ser ignorada. 
Na certa nesse momento ele me diria, pára Sandra, você exagera. Não é exagero!!!

Também percebi que meu amigo não poderia ser só meu, meu amigo é do mundo, como um filho meu.

É ser Humano único, nasceu com esse brilho, sem dar importância demais às adversidades, e eu sei que foram muitas. Mas nunca o vi reclamar, se lamuriar, não, isso era o de menos, ele estava ocupado demais com as coisas que são.

Me ensinou muita coisa com suas atitudes, ser feliz com pouco, ver a beleza que existe em tudo, passar por cima das coisas ruins da vida sempre com um tremendo bom humor e um sorriso no rosto. 

Autêntico, não pense que por suas roupas e comportamentos as vezes excêntricos, normal em um Artista, que ele não é uma pessoa séria e responsável , é, e muito. Seriedade e cara sisuda nem sempre são sinônimos de caráter e responsabilidade.

A saudade de seu pai que perdeu aos 4 anos de idade e sempre que me falava dele, me parecia que foi ontem o ocorrido. Mas ele tinha um sonho maior que ele, seu sonho era de ser pai,  ele me ligou emocionado dizendo que sonhou com o filho. Era sério, ele já estava a caminho. Nunca na minha vida eu vi um pai tão feliz e emocionado com a notícia da chegada do filho.

Não entendo como sua sensibilidade extrema não atropela seu lado racional. Coragem e superação é o que o define.

Sua influência com os jovens é notória, me atrevo até a dizer que ele salvou muitas vidas e deu um norte, um sentido. Porque é com verdade que se toca o coração humano.

Muitos desatentos poderiam achar suas idéias malucas, mas um olhar sensível e amoroso poderia ver que ele iria longe. E também me atrevo a dizer que tudo é só o começo.

Sabia que estava diante de alguém capaz de tornar sonhos em realidade, remando contra a maré e tenho muita honra em tê-lo como meu amigo. Eu via que ele estava de com todas as portas e janelas abertas para acontecer.

Sandra Melo


VEJA TAMBÉM

0 comentários