PRECISAMOS DE PACIÊNCIA ATÉ MESMO COM A IGNORÂNCIA DOS MAUS; SUAS IDEIAS SÃO PERECÍVEIS; NÃO TEM RAÍZES, NÃO SE SUSTENTAM E LOGO PASSA...

por - 03 maio



“A serenidade dos justos é o que mais desespera os incompetentes” com essa frase de um de meus textos de anos atrás; tamanhamente reflexiva e oportuna, inicio minha fala, sempre aberta, honesta e plural.

Desde o dia 02 de Janeiro de 2017 quando assumi o cargo público confiado à mim pelo Prefeito Guti, sempre me cobro para não ser um gestor de gabinete, enfurnado numa sala, como sempre critiquei; pra mim gestor de verdade deve estar rodando a cidade, visitando os espaços culturais para absorver os problemas e propor mudanças (na medida das possibilidades reais) e é exatamente isso que tenho feito permanentemente desde então; são visitas técnicas, apreciação de obras de artistas da cidade, visitas às entidades parceiras, acompanhamento de perto dos programas e projetos que construímos juntos na cultura e evidentemente diversas atividades internas. Tenho o costume de documentar em fotos, textos, vídeos e relatórios minhas atividades e boa parte desses estão em meu site pessoal. Minha maneira de fazer constantemente minha auto-avaliação.

Sou concursado em dois cargos públicos. Educador, diretor de teatro, escritor, ator, são algumas das minhas profissões; mas tenho muito orgulhos de ESTAR num cargo político e técnico à mim confiado.

Nos últimos dias tenho recebido ataques “abobalhados” de um “jornalista”(daqueles do nível de programas de fofoca das tardes da televisão brasileira) primeiramente incitando uma cizânia e consequentemente tentando (sem muito sucesso) denigrir minha imagem construída nos últimos 20 anos de um militante da educação e cultura (e não um militante de ocasião, como acontece com frequência Brasil afora). Sua postagem tem admiráveis 2 compartilhamentos, 12 comentários e 25 curtidas favoráveis; num universo de 1 milhão e 400 mil habitantes de Guarulhos. Uma dimensão infinitamente restrita, do tamanho do caráter de quem à encomendou.

Como disse recentemente o professor Karnal “Eu só poderia me ofender se eu não me conhecesse”
Me perguntaram se eu tenho raiva do tal “jornalista”... Como eu posso ter raiva de alguém assim? Claro que não! Alguém que precisa inventar assuntos, fazer tais práticas para se dar bem na vida, só desejo que ele seja um ser humano melhor, que ele seja um profissional de fato (manual básico do JORNALISMO: aula 1, capítulo 1: OUVIR OS CITADOS)

Nessa vida a gente só pode colher aquilo que planta e eu tenho diariamente plantado muito amor por onde eu passo e assim vou continuar fazendo.

Outro amigo me indagou... “Isso é coisa plantada; alguém que pagou para o jornalista mentir sobre você e tentar te denigrir” Sobre essa hipótese muito provável; meu desprezo é o mesmo pois alguém que gasta sua energia, seu tempo e seu dinheiro para prejudicar um professor que tem apenas se dedicado à fazer o bem É SEM DÚVIDA UM DESQUALIFICADO, INCAPAZ DE RACIOCINAR... Mas jamais me preocuparia de saber quem é... O tempo mostra quem são as pessoas; como já dizia minha vó “...o tempo é o senhor da razão”.

Mas deixo claro que esse texto não se trata de uma resposta; pois jamais me permitiria dar ibope à gente desse tipo, que se quer merece resposta. Esse texto é simplesmente uma reflexão particular e pessoal, que compartilho principalmente com os muitos amigos que me conhecem, conhecem minha trajetória e o meu caráter.

Eu vou seguir lutando por mais oportunidade aos jovens, por mais direitos, por uma política cada vez mais “olho no olho” e sobretudo seguir minha vocação com as centenas e milhares de pessoas com quem compartilho dos mesmos ideais. Estou plenamente disposto a aprender e tenho aprendido muito, inclusive a ter paciência com a estupidez humana; à estes eu desejo que encontrem seu verdadeiro caminho, pois o meu eu trilho com firmeza há muito tempo.

VEJA TAMBÉM

0 comentários