RELATO - O PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA COMO PALCO DA VIDA - Daniel Dantas

por - 29 junho





Em 2003, quando eu tinha 05 anos de idade;  após a separação dos meus pais, tive que vir morar em Guarulhos em uma casa de frente a Escola Estadual José Marun Atalla; logo que cheguei ao bairro estranhei por ver a escola aberta aos finais de semana porque normalmente  as escolas só estavam abertas de segunda a sexta feira, então um amigo me disse que ali acontecia o programa Escola da Família e tinham várias atividades e brincadeiras.

No primeiro dia em que fui à escola me encantei muito, pois ali tinham várias atividades acontecendo, futebol, ping pong, dança, oficinas que eram ministradas pelos universitários, pessoas muito dedicadas de diversas áreas que davam vida àquele espaço.

Comecei a participar de algumas dessas atividades culturais... Eu ainda estava aprendendo a ler, mas num certo dia, vi um cartaz sobre oficinas de teatro, da Trupe Ortaética de Teatro Comunitário, então fui perguntar para um dos universitários, foi aí que conheci o jovem universitário Tiago Ortaet, na ocasião ele me disse que aquele curso era para crianças um pouco mais velhas, então pedi uma oportunidade porque queria muito participar, ele tornou a me explicar; insisti; e foi aí que ele me deu a oportunidade da minha vida.

Eu tinha uma energia dentro de mim que pulsava muito forte, eu queria ser ouvido e através dessa oficina de teatro pude me encontrar comigo mesmo, me emocionar, refletir, não eram apenas exercícios e jogos teatrais, era algo que ia mais além, coisas que impactavam diretamente na minha vida. Um grande ciclo de aprendizagens.

O professor Tiago nos cobrava e ensinava muito, um dos grandes ensinamentos daquela época foi compreender que “pra fazer teatro temos que ter disciplina” e com toda essa vivência comecei a ter um olhar diferente para a sociedade e essa energia dentro de mim foi só aumentando, meu olhar perante meu dia a dia foi mudando e com o passar dos anos fui achando respostas de questionamentos que eu tinha dentro da minha própria mente.

Criei uma relação muito forte com o Professor Tiago Ortaet que me deu muitas lições de vida e aprendizados; sempre acreditou na cultura através do teatro como algo transformador e isso foi plantado em mim como algo intransponível.

Através do teatro descobri uma paixão muito grande também pela dança; fazia aulas de dança aos domingos no Programa Escola da Família. Os universitários bolsistas do programa me tratavam muito bem, me acolhiam e atuavam ali com muito amor, eles faziam mais do que o dever deles, mais do que sua função e cada projeto, cada conselho, cada festa comunitária me impactava muito.

Essa época foi um grande marco na minha história, precocemente me descobri artista; o programa mudou a minha vida... 

Eu passava a tarde inteira dos finais de semana na escola, almoçava, me divertia, estudava, fazia cursos diversos, pintura em tela, crochê, informática e atendimento psicólogo, meus pais também participavam das atividades da escola e tinham uma interação muito bacana com as famílias; frequentei por muito tempo e de lá veio toda minha base cultural.

Hoje aos 21 anos sou ator, arte educador, professor de dança e estudante universitário de licenciatura em teatro; trabalho na Subsecretaria de Cultura da cidade de Guarulhos como assessor do Diretor Tiago Ortaet e tenho a felicidade de viver arte todos os dias da minha vida.

Sou eternamente grato aos universitários que sem perceber deram mais sentido aos meus finais de semana; mudaram minha vida, ampliaram meus horizontes; coisas que a educação e a cultura são capazes de fazer na vida da gente. 

Do mesmo modo sou grato ao programa escola da família que foi palco dessa profunda relação minha com a arte e com as pessoas que por ali passaram e transformaram aquela realidade.

Daniel Dantas dos Santos

VEJA TAMBÉM

0 comentários