Música do Silêncio é destaque da programação cultural do 27º Aniversário da Lei de Cotas

por - 03 agosto


Na manhã da última terça-feira (24), o grupo Música do Silêncio brindou os participantes do 27º Aniversário da Lei de Cotas, que aconteceu na marquise do Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, com um repertório cheio de vigor. O evento é organizado por diversas entidades governamentais, dentre os quais a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo e sociedade civil, e tem como objetivo conscientizar e sensibilizar sobre a importância da inclusão profissional e do trabalho formal para pessoas com deficiência.
O Projeto Música do Silêncio integra o núcleo de inclusão musical do Conservatório Municipal de Guarulhos, uma iniciativa que objetiva o ensino de música para crianças, jovens e adultos com ou sem deficiência. No repertório do grupo, músicas consagradas como “Isto Aqui, o que é?”, de Ary Barroso, "Descobridor dos Sete Mares", de Tim Maia, “O Sol”, Jota Quest, e “Dust in the Wind”, Kansas, animaram o público, que dançou e se divertiu desmedidamente.
De acordo com o maestro Fábio Bonvenuto, coordenador do Projeto, a participação da família na vida social do deficiente é fundamental para se obter resultados satisfatórios: “Muito mais do que participar do desenvolvimento intelectual de seus filhos, a participação da família em momentos como esse são decisivos para que o projeto se concretize como uma iniciativa humanizadora e verdadeiramente inclusiva”, comemora o maestro.
Para Maria de Fátima Ale, mãe do percursionista Eric Barbosa Araújo, de 11 anos, deficiente auditivo, as saídas do grupo para apresentações em espaços diferenciados como a do Parque do Ibirapuera ajudam a potencializar a autonomia de seu filho: “Ele sempre foi muito tímido e, desde que entrou no Projeto, há quase dois anos, já está mais despojado, independente”, vibra a mãe.
Muito mais que apoiar, Eleandro Antonio Correia e Maria José Baltazar, pais da cantora Paula de Souza Meireles, de 32 anos, deficiente física, intelectual e visual, são completamente envolvidos com a vida musical da filha. “Prestigiar a Paula e o grupo num evento como esse é maravilhoso porque assim podemos mostrar para as pessoas que devemos ter outra postura em relação aos deficientes, não tratá-los com preconceito e dar a eles oportunidades de participação como essa”, reforça a mãe. Animado, o pai Eleandro também passou a integrar o grupo Música do Silêncio, uma forma de incentivar ainda mais a filha nessa etapa.
Lei de Cotas
Em 2018, a Lei 8.213, de 24 de julho de 1991 comemora 27 anos de luta para a inclusão de profissionais com deficiência e reabilitados no mercado de trabalho formal, garantindo seus direitos.
De acordo com a Lei, empresas que têm entre 100 e 200 empregados devem garantir 2% das vagas a beneficiários reabilitados e pessoas com deficiência, chegando a um máximo de 5% caso haja mais de mil funcionários.
Imagens: Carla Maio/ PMG

VEJA TAMBÉM

0 comentários