Bailarinos do Projeto EducaDança se apresentam durante simpósio da Unifesp

por - 09 outubro

Na última quinta-feira (4), bailarinos do Projeto EducaDança se apresentaram durante o 4º Simpósio Internacional sobre Adolescência, que aconteceu entre os dias 3 e 5 de outubro, no Teatro Marcos Lindenberg, no Campus São Paulo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O Projeto é uma iniciativa da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e oferece aulas de ballet gratuitas para crianças e jovens entre 5 e 19 anos.
O simpósio da Unifesp teve como objetivo promover o intercâmbio de experiências de ensino, pesquisa e extensão e o acesso a conhecimentos e tecnologias que atendam as demandas da realidade atual. De acordo com a professora Flávia Maria Bicudo Medeiros Planas, do Projeto EducaDança, a riqueza das temáticas abordadas no simpósio vão ao encontro de um trabalho assertivo realizado pela Prefeitura de Guarulhos e que vem alcançando visibilidade por oferecer aos jovens a oportunidade de se expressar artisticamente.
“A prática de Ballet Clássico na adolescência é benéfica pela atividade física em si, porém é importante focar num trabalho consciente, com orientações que previnam lesões e que tenham um olhar cauteloso para sua autoestima”, observa a professora.
Nessa apresentação, participaram bailarinos com idades entre 13 e 17 anos, alunos que vêm se dedicando à dança de corpo e alma, como o caso de Amanda Maia, de 16 anos. A estudante do 2º ano do Ensino Médio conta que tem superado com muito esforço e dedicação a questão da flexibilidade, considerando que começou a dançar ballet clássico há apenas dois anos: “Eu sempre gostei de dançar, mas nunca tive condições de pagar por um curso. Depois que comecei a fazer parte do Projeto, penso em me profissionalizar, sonho em trabalhar em uma grande companhia e, um dia, também desejo me tornar professora”, vibra a jovem.
Projeto EducaDança
O Projeto EducaDança é uma iniciativa da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer. As aulas acontecem no Adamastor Centro e são ministradas pelas professoras especialistas Bruna Mascarenhas de Rezende Stern, Fabiana Mazucante Serra Pinto e Flávia Maria Bicudo Medeiros Planas.
Juntas, elas elaboraram uma metodologia para o desenvolvimento do ballet clássico para crianças que ainda não tiveram a oportunidade de vivenciar a arte. Nesse sentido, a disciplina, técnica e didática são prioridades, mas sem deixar de lado o conceito de que a prática da dança é uma atividade prazerosa e que eleva a autoestima.
O Projeto atende modalidades que vão desde o Baby Class (5 e 6 anos), o Pré-ballet (7 a 9 anos) até o 9º ano. Crianças com mais de 10 anos podem participar, desde que tenham experiência anterior em ballet clássico.
Imagens: Divulgação/ PMG

VEJA TAMBÉM

0 comentários