FUTURO NA CULTURA É TEMA DA REFLEXÃO EM MINHA COLUNA SEMANAL NO JORNAL GUARULHOS HOJE

por - 05 abril



DÉCADA DA CULTURA
Que a cultura move diferentes setores da sociedade devido sua transversalidade peculiar, isso ninguém duvida, pois diversos estudos apontam que atividades culturais, das mais diversas, impactam positivamente na economia regional; seja em grande escala com a indústria cultural através do cinema, dos grandes eventos ou em rede com a economia criativa.  
A cultura em toda sua complexidade e dimensões estética, simbólica, identitária, social e econômica traz um compendio daquilo que somos entre passado, presente e futuro enquanto sociedade.
Diante dessa complexidade de uma cultura lato, como analisa o filósofo contemporâneo Edgar Morin; eis a pergunta embrionária de todo nosso diálogo: Que Guarulhos cultural queremos para os próximos dez anos?
Nos próximos meses fazedores de cultura de toda a cidade se reunirão em fóruns de debates públicos acerca da construção coletiva do plano municipal de cultura, um documento histórico que tem por premissa embasar a política pública cultural para os próximos dez anos.
Um documento de toda a cidade, de todos os munícipes, que impactará pelo menos quatro gestões municipais a partir de metas e indicadores que contemplem toda a pluralidade da cultura local.
Não apenas as demandas de cada uma das linguagens das artes e manifestações culturais, que os artistas trazem com muita propriedade, mas também é importante que o público em geral, consumidor de cultura, opine, sugira e participe ativamente na construção das propostas.
Recentemente o Conselho Municipal de Política Cultural de Guarulhos (uma entidade paritária entre sociedade civil e poder público) promoveu fóruns setoriais onde foram debatidas tanto a realidade de cada área específica, quanto o histórico das mesmas e as prospecções de futuro para garantia de formação, fomento e fruição das artes na cidade, dentre outras necessidades inerentes ao fazer cultural.
Nos próximos meses os debates passarão a ser realizados a partir dos seguintes eixos temáticos:
I - Política Cultural, gestão e capacitação;
II - Infraestrutura cultural, ampliação, integração e desenvolvimento;
III - Estímulo à produção cultural local e à valorização da diversidade cultural;
IV - Identidade cultural e patrimônio material e imaterial
Em consonância com o Plano Nacional de Cultura – PNC de responsabilidade do governo federal, o Plano Municipal de Cultura será um documento criado por muitas mentes e muitas mãos com metas a curto, médio e longo prazo.
O resultado desse ciclo de estudos, mapeamento e propostas será referendado na VI Conferência Municipal de Cultura planejada para o mês de Setembro e após o crivo da plenária deverá ser encaminhado à Câmara Municipal para apreciação do poder legislativo.
Essa é mais uma atividade oportuna e legítima de participação popular que convida a todos para exercerem seu direito de cidadania efetiva, de modo que esse documento condense toda a diversidade de nossa cultura e pujança de nossa gente no sentido de que sejam refletidas no maior e mais importante documento público cultural da história da cidade a identidade, preservação, memória e sobretudo as múltiplas faces culturais de nossa Guarulhos.
Tiago Ortaet

VEJA TAMBÉM

0 comentários