SOBRE O CONSTRANGIMENTO DE UMA CRIANÇA PROMOVIDO PELO MC BRASILEIRO

por - 25 outubro

JOVEM SEM GRAÇA
Era uma vez um jovem, que ainda criança, fez muito sucesso como funkeiro; dentre seus fãs, a maioria era de crianças e adolescentes; esse sucesso fez com que sua ascensão lhe tirasse da periferia onde morava e passasse a ostentar carros importados, até aí tudo legítimo; embora ostentar riqueza seja tão questionável quanto as letras vazias da maioria de suas músicas.
Numa viagem aos Estados Unidos, ele e alguns amigos, presenciaram uma garotinha no vagão do trem, na Disney e decidiram filmar o rosto da criança para se divertirem com o deboche daquilo que protagonizavam. Era visível que a garotinha não tinha as sombrancelhas, usava peruca e isso poderia ser conseqüências de algum problema de saúde; mas claro que os moleques não se preocuparam com isso, estava tão engraçado rir dela que nem pensaram nisso.
O olhar daquela menina, visto no vídeo compartilhado para o mundo todo através da internet, era de tristeza e constrangimento.  Eu senti uma vontade enorme de abraçar aquela criança e dizer olhando bem nos seus olhos o quanto ela é linda e corajosa e que vai vencer seu problema de saúde.
Como alguém ri de uma criança??? Como é capaz de achar graça nisso???
Já que muitas famílias abandonaram o necessário ensinamento de valores humanos; EMPATIA deveria ser disciplina obrigatória na grade curricular de todas as escolas do mundo.
Existe uma modalidade de jovem que carrega consigo uma marca peculiar da bestialidade, fruto de um desejo incessante de se auto-afirmar provocando constrangimento nos outros.
Ser jovem não é isso! Juventude é uma das mais belas palavras do nosso dicionário, pra mim, juventude tem a ver com sonhos, curiosidade, estudos, família, respeito, projeto de vida, ousadia positiva, dentre tantas outras coisas ligadas ao caráter e à índole. É na juventude que tanto planejamos nossa vida e temos paixões arrebatadoras. Costumo dizer aos adolescentes “Bora ostentar amor e respeito pelo próximo?”
Certa vez ouvi um intelectual dizer assim “Ah se eu tivesse aos 20 a sabedoria dos 40” isso me fez refletir bastante. Realmente com o passar das décadas ganhamos novos referenciais de vida, mas é inegável que há muitos jovens com plena consciência e valores humanos, mesmo muito novos tem uma maturidade arraigada no seu comprometimento sociável. Por outro lado há quarentões irresponsáveis que não se dão se quer ao respeito de cuidar de seus filhos e vivem como se fossem adolescentes pra sempre.
Uma coisa é você preservar um espírito jovem, uma áurea jovem; outra coisa é ser irresponsável, uma coisa não deveria ter nada a ver com a outra. Por isso sou cético quanto à rotulação de idade cronológica. As irresponsabilidades têm muito mais a ver com a visão de mundo de cada um do que com a idade que a pessoa tem.  
Já que esse funkeiro gosta tanto de ostentar nas redes sociais, desejaria que ele pudesse ostentar mais respeito do que carros importados e que ele entenda qual é a verdadeira riqueza nessa vida.
Essa reflexão não se trata, de forma alguma, de achincalhamento do funkeiro que constrangeu aquela criança no vagão de trem, de uma inquisição como quem prega que ele seja jogado na fogueira da contemporaneidade; o jovem patético que protagonizou uma atitude desumana merece reflexão e aplicação da legislação americana já que o caso expôs e constrangeu uma criança. Aqui no Brasil algumas marcas que o patrocinava já anunciaram rompimento de contrato, shows foram cancelados e muitos ex-fãs prometem boicotar seus shows, um ciclo de conseqüências para uma atitude inconseqüente.  
O jovem pediu desculpas publicamente, mas é urgente e necessário que ele peça perdão para a menina e seus pais; contudo as desculpas redimem, mas não apagam o que foi feito, porém é o início de uma formação pessoal.
Há quem queira ser engraçado o tempo todo, que não reconheça limites e fronteiras entre a graça e o bom senso. Se numa relação, seja ela qual for, apenas um acha engraçado, isso de fato, não tem graça nenhuma. 

VEJA TAMBÉM

0 comentários