Esquete teatral destaca 16 dias de ativismo contra o relacionamento abusivo

por - 28 novembro

A Prefeitura de Guarulhos promoveu um esquete teatral na última semana com os jovens atores Daniel Dantas e Samara Rita, numa dramaturgia bastante contundente, que representou a triste realidade de muitos relacionamentos abusivos, pautados em preconceitos e opressões. Produzida pela Subsecretaria de Políticas para Mulheres (SPM), vinculada à Secretaria de Direitos Humanos (SDH), em parceria com o coletivo artístico guarulhense Trupe Ortaética de Teatro Comunitário, a dramatização foi apresentada na sede da SPM para servidores de diferentes pastas, que ao final debateram o conteúdo com os atores.
As cenas foram gravadas na Casa das Rosas, Margaridas e Betes, espaço de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica, de modo que o material cinematográfico educativo, dirigido pelo cineasta Rodrigo Marcelo, será exibido em outros eventos oficiais da SDH a fim de gerar debates sobre a igualdade de gênero.
De acordo com a subsecretária de Políticas para Mulheres, Verinha Souza, “essa atividade reflexiva caracteriza o mote dos 16 dias de ativismo que celebra datas importantíssimas do calendário oficial”. Dentre os marcos citados pela subsecretária estão o Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro), o Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres (25 de novembro), o Dia Internacional dos Defensores dos Direitos da Mulher (29 de novembro), o Dia Mundial de Combate à Aids (1º de dezembro), o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo fim da Violência contra as Mulheres (6 de dezembro) e a celebração dos 71 anos do Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro).
“Estamos planejando um grande evento para o dia 19 de novembro e esse vídeo fará parte da programação, que ainda contará com uma palestra sobre violência doméstica e a campanha do Laço Branco, que incentiva que homens se comprometam a eliminarem o machismo de seu cotidiano”, completa Verinha.
A apresentação artística teve criação dramatúrgica e direção dos atores realizada pelo diretor de Políticas para Mulheres, Tiago Ortaet, que mediou o debate com servidores das subsecretarias de Igualdade Racial, da Diversidade e de Políticas para as Mulheres.
Para Ortaet, através do ato teatral a mensagem eloquente dos personagens toca com mais força cada um dos espectadores. "A arte tem o poder de nos colocar em reflexão numa espécie de vitrine social, de modo que possamos repensar o machismo cultural de nossa sociedade, a homofobia, o racismo e todos os demais preconceitos”, destaca o diretor, que convida a todos para participarem dos 16 dias de ativismo, que iniciará em 19 de novembro.
Fotos: Divulgação/PMG

VEJA TAMBÉM

0 comentários